Notícias | São Paulo, 04/12/2019

Companhia das Letras promove Olimpíada do Conhecimento no Brasil

A proteção ambiental e a sustentabilidade foram o foco da competição brasileira "Sapientia - Olimpíadas do Futuro", que convidou estudantes entre 16 e 18 anos de todo o país a desenvolver projetos relacionados a esses temas. Os patrocinadores da Olimpíadas do Conhecimento são o grupo editorial brasileiro Companhia das Letras, pertencente à Penguin Random House, e Vertere, instituto de formação de professores. A competição Sapientia foi inspirada nos 17 objetivos de desenvolvimento sustentável definidos pelas Nações Unidas, em 2016. Mas o concurso também leva em conta os resultados da pesquisa do historiador israelense Yuval Noah Harari, resumidos no best-seller "21 lições para o século XXI". A Companhia das Letras é a editora das obras da Harari no Brasil e convidou o autor no início de novembro para uma discussão com 1.800 pessoas em São Paulo. A mais recente edição do concurso Sapienta terminou em 16 de novembro com a entrega dos prêmios às equipes vencedoras de 2019.

O primeiro lugar ficou com a equipe de Mossoró, Rio Grande do Norte, que inventou uma palha biodegradável e comestível à base de mandioca e cera de carnaúba. Os organizadores da Sapientia concordaram que o canudo não é feito apenas de matérias-primas locais, mas também pode ser produzido a um custo menor do que outros canudos ecológicos que já estão no mercado. O segundo lugar também ficou com uma equipe de Mossoró, que apresentou um projeto para a instalação de colmeias nas escolas e inclui a produção de mel e o desenvolvimento de material educacional. O terceiro lugar ficou com um grupo de Fortaleza (CE), que combina educação e reciclagem. Os alunos criaram equipamentos experimentais de física, química e robótica para uso em laboratórios escolares usando apenas materiais reciclados. Os outros finalistas foram de Lauro de Freitas (BA), Juazeiro do Norte (CE) e Porto Alegre (RS).

"Tive a honra de participar como membro do júri na fase final da competição. É extremamente energético ver jovens de Mossoró, no interior do estado do Rio Grande do Norte, criando um projeto para combater o desperdício de plástico nos oceanos usando a mandioca como base", disse Daulins Emilio, head do Centro Corporativo da Bertelsmann no Brasil. "Iniciativas como essa estimulam jovens talentos, oferecendo novas perspectivas para o futuro e soluções incríveis para o mundo".

Ao longo de 2020, as seis equipes finalistas trabalharão na implementação prática de suas ideias.