Notícias | Gütersloh, 06/06/2020

À caminho da neutralidade climática em 2030

A Bertelsmann aspira ser climaticamente neutra até o final desta década. Para conquistar esse desejo, as emissões de gases de efeito estufa causadas pela mobilidade dos colaboradores e a produção de produtos nas operações da empresa ao redor do mundo serão reduzidas em 50% em relação a 2018. As emissões restantes serão compensadas por meio de projetos para a proteção climática. Para atingir esse objetivo ambicioso, três áreas de ação foram definidas: sites, colaboradores e produtos. Como todos os anos, os especialistas da divisão "be green" coletam dados ambientais nas últimas semanas e o relatório 2019 Carbon Footprint da Bertelsmann será publicada em breve, de acordo com os padrões da Global Reporting Initiative (GRI). Além deste trabalho, a equipe "be green" está avançando no desenvolvimento de estratégias climáticas em todas as divisões. 

"Muitas unidades de negócios do RTL Group lançaram iniciativas caminhando para a neutralidade climática" relata Angelique Zachary, da RTL Group Facility Management. "Por exemplo, a Fremantle iniciou recentemente uma parceria em todo o setor para calcular a pegada de carbono de suas produções globais de filmes. A Mediengruppe RTL está desenvolvendo sua própria estratégia de sustentabilidade. Nossos colegas da RTL TVI, na Bélgica, elaboraram um roteiro para projetos nas áreas de gerenciamento de resíduos, mobilidade, lanchonete e edifícios, como parte de uma discussão aberta. E, em geral, temos um número recorde de locais que participam da coleta de dados em todo o grupo para 2019".

A Penguin Random House assumiu como missão publicar livros de forma responsável e minimizar seu impacto no meio ambiente, diz Michael DeFazio, vice-presidente de Compras & Produção da Penguin Random House nos EUA. "Para nos tornarmos neutros em carbono junto à Bertelsmann até 2030, continuaremos a melhorar nossos processos, infraestrutura e cadeia de suprimentos. Também criamos um Comitê de Sustentabilidade de Responsabilidade Global para compartilhar estudos de caso e experiências. Este comitê nos ajuda a proteger o meio ambiente para a próxima geração de leitores".

Produção climática neutra

O Verlagsgruppe Random House, em Munique, visa aumentar continuamente a proporção de títulos neutros a cada ano, explica Barbara Scheuer-Arlt, gerente de produção e diretora ambiental do Verlagsgruppe Random House. "Nossas editoras Ludwig e Gütersloher Verlagshaus produzem todos os títulos neutros em carbono desde 2018, e as impressões de livros infantis seguiram o exemplo em 2020". Ao realizar uma análise detalhada de toda a cadeia de suprimentos, podemos determinar exatamente que efeito a seleção de uma gráfica, de um determinado tipo de papel ou acabamento tem na pegada de carbono de um título, e podemos, portanto, tomar medidas específicas para reduzir as emissões".

"A produção neutra em termos de clima também é uma prioridade na Gruner + Jahr", explica o diretora de Sustentabilidade Ulrike Penz: "Por meio de nossos cálculos e pesquisando fornecedores e prestadores de serviços, já conseguimos melhorar significativamente a transparência em relação às emissões de CO2 na cadeia de produção e fornecimento de papel de revista. Continuaremos a trabalhar intensamente nisso e, na próxima etapa, incluiremos dados adicionais sobre a produção da revista". A Gruner + Jahr mudará para energia verde em suas instalações a partir do próximo ano. "Também planejamos coletar dados específicos do local na área de mobilidade, especialmente no deslocamento dos colaboradores. É importante para nós desenvolver o conhecimento e a conscientização do time sobre questões climáticas e ambientais. Para isso, contamos com uma comunicação na intranet da G + J 'Greenport'".

Coletando dados de energia com 'green screen'

"Atualmente, na Arvato Supply Chain Solutions, estamos desenvolvendo nossa própria estratégia de proteção climática, com a qual contribuiremos para alcançar as metas de todo o grupo", diz Melanie Engler, do recém-criado departamento de Edifícios e Meio Ambiente. "Para isso, estamos trabalhando intensamente com os dados ambientais da plataforma de TI 'be green', que pudemos coletar de forma mais abrangente este ano. Aliás, também usamos os dados de nossos clientes, que estão exigindo cada vez mais nossos relatórios de sustentabilidade". 

Volker auf der Landwehr, gerente de projetos de TI e oficial "be green" da Majorel, afirmou que "após a fundação da Majorel, o foco deste ano foi a coleta de dados ambientais de empresas e sites, especialmente as companhias da Saham. Já coletamos diariamente e mensalmente dados de energia no 'green screen’ de várias localidades alemãs. Isso também nos dá acesso aos valores atuais e já vimos um efeito do Covid-19: devido ao aumento de pessoas que trabalham em casa, as emissões de CO2 de prédios e viagens de negócios caíram significativamente nas últimas semanas. Apesar das restrições, a empresa conseguiu realizar as auditorias de eficiência energética planejadas em mais de 20 locais usando o Microsoft Teams".

"O Bertelsmann Printing Group está planejando um cúpula de sustentabilidade com todas as divisões para desenvolver um roteiro para a neutralidade climática até 2030”, explica Lars Peter, diretor de gestão de energia da Prinovis e representante do "be green" no Printing Group. "Atualmente, estamos dando os primeiros passos em direção à neutralidade climática em departamentos selecionados, como o TI no Bertelsmann Printing Group, por exemplo, monitorando o consumo de energia on-line no 'green screen' e desenvolvendo um questionário sobre deslocamento com os colaboradores. De acordo com a 'One Company Approach', também estamos trabalhando em soluções consistentes em relação ao meio ambiente. Por exemplo, planejamos um cálculo integrado de CO2 da pegada de carbono para nossos clientes, para que possamos seguir o caminho da neutralidade climática junto com eles".