Notícias | São Paulo, 04/12/2017

Um "hackathon" em busca de soluções para reduzir o endividamento

A inadimplência é um grande problema no Brasil. Com o objetivo de ajudar os consumidores a pagar suas dívidas, a Intervalor organizou seu primeiro hackathon. A convite da unidade brasileira da Arvato Financial Solutions, mais de 50 especialistas em TI se encontraram em São Paulo e passaram um fim de semana completo em soluções inovadoras para o mercado de cobrança. Sob o título "Hack in Debt", uma série de idéias inovadoras e incomuns surgiram em apenas trinta horas de desenvolvimento. Três soluções impressionaram o júri.

A busca por novos conceitos para lidar com os consumidores e para desenvolver processos de cobrança está se tornando cada vez mais importante. Com mais de 58 milhões de habitantes, cerca de um quarto da população é inadimplente. A combinação de planejamento financeiro insuficiente com a grande popularidade dos pagamentos por parcelamento fizeram com que muitos brasileiros perdessem o controle sobre suas dívidas.

Soluções eficientes e orientadas para o consumidor

"O desenvolvimento tecnológico pode oferecer respostas criativas e novas soluções nesta área", afirmou o CEO da Intervalor, Luis Carlos Bento. Para explorar essas respostas, a subsidiária Arvato realizou o primeiro hackathon voltado para o mercado de cobrança. Em um ambiente moderno no coração de São Paulo, desenvolvedores de diversas áreas passaram um fim de semana dedicados a lidar com os desafios dos processos de cobrança e elaborar soluções eficientes e orientadas para o consumidor.

Uma vez que a qualidade e a quantidade de informações a serem consideradas são cruciais para o desenvolvimento de processos orientados por dados, os especialistas em aplicação dispunham de informações detalhadas sobre a situação da dívida no Brasil e sobre processos e processos típicos de cobrança. "Tivemos uma grande equipe de especialistas internos e externos no local para fornecer aos especialistas um aconselhamento especializado e familiarizá-los com as próprias experiências dos especialistas em lidar com consumidores endividados", disse Phelipe Alvaréz, diretor de vendas e marketing da Intervalor. Sua equipe foi responsável por organizar o hackathon, apoiado pela equipe de TI liderada pelo diretor Rafael Matos.

Novas perspectivas na área de cobrança

A preparação valeu a pena, já que as equipes de desenvolvedores conseguiram examinar tópicos típicos no ambiente de cobrança a partir de perspectivas incomuns e procuraram possibilidades de facilitar o pagamento da dívida ou evitar a acumulação de novas dívidas. As soluções variaram desde possibilidades de pagamento alternativas – através da performance de serviços – como apontar aplicativos para estudantes e aplicativos de gerenciamento financeiro com funções de informação inteligentes.

Quase todos eles concentraram suas reflexões sobre o consumidor e procuraram possibilidades de facilitar o pagamento da dívida ou evitar a acumulação de novas dívidas. A gama de soluções propostas varia de opções de pagamento alternativas (por exemplo, através da prestação de serviços) para aplicações de gerenciamento financeiro com alarmes inteligentes, através de programas de pontos para estudantes universitários.

No final do evento, o júri presidido por Luis Carlos Bento escolheu três vencedores. O líder da Intervalor ficou impressionado com a qualidade dos resultados. "É extraordinário a profundidade com que os programadores abordaram em apenas 30 horas os desafios mais importantes dos métodos de cobrança e desenvolveram abordagens inovadoras". Além das ideias concretas, a maratona de programação implica benefícios adicionais. "Por um lado, pudemos mostrar aos participantes um escopo totalmente novo para a criação de aplicativos. Por outro lado, o evento mostra que a AFS e a Intervalor estão abertas a novos impulsos e abordagens modernas", comentou Phelipe Alvaréz.

Hack in Debt – os vencedores

Kitle: este aplicativo oferece uma plataforma onde os usuários podem controlar suas despesas monitorando seus orçamentos diários. O sistema inclui um bate-papo com base na inteligência artificial em que os usuários podem tirar suas dúvidas quanto a uma decisão de compra. Os usuários também podem renegociar suas dívidas e reembolsos.

Poupe: o aplicativo concentra-se na resolução de problemas financeiros pessoais através de um conceito de orçamento familiar. Basicamente, oferece uma plataforma em que famílias inteiras podem compartilhar suas despesas e rendimentos em uma conta conjunta, que pode ser usada para objetivos de gastos compartilhados ou para apoiar membros individuais da família em caso de dívida ou necessidade especial. A solução está bem alinhada com o mercado brasileiro, uma vez que o conceito de economia familiar é amplamente utilizado no país.

PiggyBank: este aplicativo é focado nos estudantes e utiliza os princípios de gamificação, ou seja, em um sistema de recompensa, no qual os usuários obtêm acesso a serviços especiais ou cursos na universidade ao clarificar os pagamentos pendentes. O benefício para os grupos educacionais é promover a retenção de seus alunos, ajudando-os a monitorar seus comportamentos de pagamento para que eles possam evitar dívidas e, em última análise, ter que desistir do curso.